Costa Rica registrou 163 casos de dengue em 2020 e MS teve um total de 21 mortes pela doença

Município teve alta incidência de casos de acordo com a Secretaria de Saúde

por: Redação - 02/04/2020 16:13

Costa Rica registrou 163 casos de dengue em 2020 e MS teve um total de 21 mortes pela doença Foto ilustrativa / Internet

Município teve alta incidência de casos de acordo com a Secretaria de Saúde

Na quarta-feira (1º), a SES (Secretaria Estadual de Saúde) divulgou o boletim epidemiológico da Dengue em Mato Grosso do Sul, confirmando mais de 15000 casos só nos três primeiros meses de 2020. Em Costa Rica os casos chegaram a 163 e a doença, transmitida pelo Aedes aegypti, já matou 21 pessoas no Estado.

Conforme o boletim, em Costa Rica foram 163 casos e a taxa de incidência é considerada alta. A conta é feita conforme a quantidade de notificações, que foram 516 pela população total do município. Em Chapadão do Sul, o primeiro trimestre do ano teve 556 casos e também 2 mortes pela doença. Ao todo, no Estado, foram 21 mortes, sendo a maioria em Campo Grande, 4 no total.

Na região de Costa Rica, também registraram mortes pela doença as cidades de Cassilândia, Pedro Gomes, São Gabriel do Oeste e Paranaíba. O coordenador municipal de endemias de Costa Rica, Geandro dos Santos Almeida, disse ao MS Todo Dia que os números registrados neste trimestre não estão dentro da normalidade. Ele lembra que a população pode aproveitar o tempo em casa, nesta quarentena, e eliminar os possíveis focos do mosquito fazendo a limpeza dos quintais.

Ainda conforme Geandro, este é o momento de ter todo cuidado possível para diminuir os casos de dengue, por causa dos riscos do coronavírus. É importante o cuidado para evitar ao máximo a ida ao hospital. “O coronavírus é um inimigo invisível, já a dengue nós sabemos qual é o inimigo e o que é preciso fazer para evitar e está faltando isso da população”.

Geandro ainda apontou que neste momento da pandemia do coronavírus os agentes de saúde não entram em todas as casas, o que dificulta ainda mais o controle e faz com que a responsabilidade da população aumente. Sobre o fumacê, ele afirmou ser uma cobrança da população, mas que o mais importante ainda é a ação humana de eliminação dos focos.

De acordo com Geandro, o inseticida que era utilizado no fumacê está escasso no Estado, então será adquirido um novo e nas próximas semanas o fumacê voltará a ser utilizado em Costa Rica.

As principais medidas de prevenção e combate ao Aedes Aegypti são:

- Manter bem tampado tonéis, caixas e barris de água;

- Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;

- Manter caixas d’agua bem fechadas;

- Remover galhos e folhas de calhas;

- Não deixar água acumulada sobre a laje;

- Encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana;

- Trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana;

- Colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas;

- Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;

- Manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo;

- Acondicionar pneus em locais cobertos;

- Fazer sempre manutenção de piscinas;

- Tampar ralos;

- Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;

- Não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas;

- Vasos sanitários externos devem ser tampados e verificados semanalmente;

- Limpar sempre a bandeja do ar condicionado;

- Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem esticadas para não acumular água;

- Catar sacos plásticos e lixo do quintal.

Fonte: MS Todo Dia

Fazer download da imagem







Leia também

Dúvidas ou sugestões? Nos escreva!






contato

NOS ACOMPANHE NAS MIDIAS SOCIAIS