Mulher que denunciou o ex por estupro e ameaça em Costa Rica muda versão e diz que mentiu em parte da história

Mulher alega que mentiu para a polícia em depoimento

por: Da Redação - 21/05/2020 09:07

Mulher que denunciou o ex por estupro e ameaça em Costa Rica muda versão e diz que mentiu em parte da história

Mulher alega que mentiu para a polícia em depoimento

Em novo depoimento prestado à Polícia Civil de Costa Rica, a mulher de 20 anos que denunciou o ex-marido, de 26 anos, por estupro e por ameaçar matar o filho de dois anos, confessou que mentiu em parte da história. Segundo o delegado Cleverson Alves dos Santos, ela manteve a versão do estupro dela, mas disse que a ameaça contra o filho não aconteceu.

Ela teria alegado ainda para a polícia que mentiu no primeiro depoimento. Cleverson afirmou que ela poderá responder criminalmente por distorcer os fatos. “O depoimento dela foi gravado. Ela também pode responder por denunciação caluniosa e as investigações continuam”, explicou o delegado.

Conforme noticiado inicialmente, a vítima relatou que se separou do rapaz e que ambos compartilham a guarda do filho. No sábado passado, ele pediu para o irmão buscar a criança, para que passassem o final de semana juntos. Mais tarde, entrou em contato com a ex-mulher alegando que a criança seria internada na Fundação Hospitalar e que precisava dos documentos.

Ele então pegou documentos com a vítima e supostamente retornou ao hospital. No entanto, momentos depois ligou novamente para a vítima, alegando que o menino seria transferido para Mineiros (GO) e que ele precisava se encontrar com ela. Na frente do hospital, a mulher foi abordada pelo ex, que estava com o filho no carro.

Agindo de forma violenta, ele a puxou à força para a entrar no veículo e seguiu sentido região do Copo Sujo, onde sacou uma arma tipo pistola e ameaçou atirar no filho caso a vítima saísse do carro. Ele então retornou para a cidade, parou e estuprou a vítima perto de um córrego. Em seguida, a levou para a casa dele, onde a trancou em um quarto e voltou a violentá-la sexualmente.

Como se não bastasse, o homem ainda encontrou em contato com a ex-sogra para afirmar que a filha dela e a criança estavam bem e que o menino estava tomando soro. Na verdade, estavam todos na casa dele. O homem manteve a vítima trancada até o dia seguinte, quando a liberou dizendo que se a polícia fosse acionada, mataria a criança. Ele está foragido.

A Polícia Civil chegou a representar pela prisão preventiva do suspeito. No entanto, no segundo depoimento, a mulher mudou a versão. Ela disse que teria sim, sido abusada pelo ex, mas negou que ele tenha ameaçado o filho. “Na parte que ela conta que foi puxada, ela diz que ele estaria armado, apontou a arma pra ela e ela entrou no carro. No entanto, o filho não estava com eles naquele momento”, explicou.

O delegado disse ainda que a mulher trouxe outros detalhes aos fatos que contradizem o que ela havia alegado inicialmente. No entanto, ele não entrou em detalhes para não comprometer as investigações. “O problema é que diante de tais declarações, fica difícil acreditar em tudo o que ela disse. Mas o caso será apurado com rigor”, pontuou Cleverson.

 

Fonte: MS Todo Dia

Fazer download da imagem







Leia também

Dúvidas ou sugestões? Nos escreva!






contato

NOS ACOMPANHE NAS MIDIAS SOCIAIS