Sem queixa, Justiça arquiva processo de calúnia de presidente da Câmara contra pré-candidato em Figueirão

por: Redação - 01/09/2020 18:00

Sem queixa, Justiça arquiva processo de calúnia de presidente da Câmara contra pré-candidato em Figueirão

Com a ausência de queixa-crime, que é essencial para levar em andamento processos de calúnia, a Justiça de Mato Grosso do Sul extinguiu um inquérito policial, onde o vereador e presidente da Câmara Municipal de Figueirão, Antônio Azevedo Nabhan acusa o estudante e pré-candidato a vereador do município, Alex Pereira da Rocha, conhecido como Alex Bixeiro.

O pedido de extinsão do processo foi do próprio Ministério Público Estadual, pela ausência de queixa-crime dentro do prazo de seis meses, que deve ser feita pela vítima. "No grupo nunca citei nome deles, nada. Eles não tem provas e foi uma forma que arrumaram de tentar prejudicar uma possível candidatura minha", afirmou Alex.

De acordo com as informações obtidas pelo MS Todo Dia, o então presidente da Câmara, em junho deste ano, procurou a polícia informando que estava sendo vítima de calúnia. Segundo ele, Alex Bixeiro estaria dizendo em grupos de WhatsApp que Nabhan seria corrupto ao tentar ser prefeito de Figueirão.

Conforme o boletim de ocorrência, Alex teria enviado um áudio nos grupos dizendo que o vereador pediu a ele apoio na campanha política, oferecendo dinheiro e favores em troca, que desviaria da Saúde e da Educação do município. Nabhan ainda afirmou que se sentiu humilhado pelas acusações e então procurou a polícia.

No entanto, instaurado inquérito policial de calúnia, o presidente da Câmara não deu andamento ao processo na data prevista e o MP decidiu pela extinsão da punibilidade. A decisão saiu nesta segunda-feira (31) e o processo foi arquivado.

 

Fonte: MS Todo Dia

Fazer download da imagem







Leia também

Dúvidas ou sugestões? Nos escreva!






contato

NOS ACOMPANHE NAS MIDIAS SOCIAIS