Governo cria Dracco e centraliza casos de corrupção e lavagem de dinheiro em MS

Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado será vinculado à Polícia Civil e chefiado pela delegada Ana Cláudia Medina

por: Redação - 14/08/2020 11:12

Governo cria Dracco e centraliza casos de corrupção e lavagem de dinheiro em MS Delegada Ana Cláudia Medina. Imagem: Henrique Arakaki

Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado será vinculado à Polícia Civil e chefiado pela delegada Ana Cláudia Medina

Quase no fim do prazo, e após pressão política, o Governo de MS oficializou nesta quinta-feira (13) a criação de uma unidade policial voltada para o combate à corrupção. O Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado) será vinculado à Polícia Civil e chefiado pela delegada Ana Cláudia Medina.

O novo departamento também cuidará da Seção de Operações Aéreas da Polícia Civil e do Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro.

Além disso, a promessa é de que sejam nomeados diretores e coordenadores para seções de Análise Criminal e Operações e de Assessoramento Especializado, Tecnologia Cibernética e Telemática no Dracco.

Desta forma, Ana Cláudia Medina aposta que o Dracco se consolide rapidamente e espera crescimento. “Nós vamos fazer um trabalho especializado de repressão qualificada”, explica a nova diretora.

Medina foi titular da Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado) e ganhou notoriedade em ações contra o PCC (Primeiro Comando da Capital) e o tráfico de drogas em aeronaves na região de fronteira.

De acordo com o Delegado-Geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas, Medina foi escolhida pela experiência. “A Ana Cláudia tem uma experiência com a investigação do crime organizado, tem curso de combate à corrupção e foi promovida recentemente à classe especial”.

Dracco só veio após pressão

No entanto, ainda não há informações oficiais sobre o que realmente será destinado de recursos humanos e estrutura para o Dracco. Reinaldo Azambuja foi acusado pela senadora Soraya Tronicke (PSL) de ‘enrolar’ a criação e correr risco de perder verbas específicas do Ministério da Justiça. (Editado às 9h24)

Fonte: Midiamax

Fazer download da imagem







Leia também

Dúvidas ou sugestões? Nos escreva!






contato

NOS ACOMPANHE NAS MIDIAS SOCIAIS