Algodão primeira época é semeado dentro da janela ideal nas regiões norte e nordeste de MS

Associação Sul-Mato-Grossense dos Produtores de Algodão publicou mais um informativo do seu Programa Boas Práticas Fitossanitárias do Algodão.

por: MS Todo Dia - 14/01/2022 16:13

Algodão primeira época é semeado dentro da janela ideal nas regiões norte e nordeste de MS

Associação Sul-Mato-Grossense dos Produtores de Algodão publicou mais um informativo do seu Programa Boas Práticas Fitossanitárias do Algodão.

Segundo o informativo publicado, o plantio do algodão 1ª época nas Regiões Norte e Nordeste do estado teve início no fechamento do vazio sanitário, e se estendeu até o fim de dezembro. Ao todo foram semeados 24.103,1 hectares, representando 96,7% da área total de algodão em Mato Grosso do Sul na safra 2021/22.

No levantamento de campo realizado pela equipe técnica da Ampasul, a maioria das propriedades tive que realizar o replante de algumas pequenas áreas que foram afetadas pelo excesso de chuvas, o que acabou provocando o desenvolvimento da mela, causada por Rhizoctonia Solani. Do mesmo modo, outras áreas necessitaram de replante devido à ausência de chuva em alguns locais, que ocasionou escaldadura das plântulas emergidas e redução do estande desejado.

A principal praga até o momento tem sido ataque de trips (Frankliniella schultzei) na cultura, porém as equipes estão atentas a tais problemas e tem realizado as intervenções de forma rápida e eficaz.

De maneira geral, o plantio realizado pelas propriedades está representando o alto padrão de qualificação da equipe técnica, com boa distribuição e excelente uniformidade, aponta o informativo da Ampasul.

Destruição de plantas voluntárias

Na segunda quinzena do mês de dezembro a Ampasul iniciou o trabalho de arranquio das plantas tigueras de algodão nas margens das rodovias do estado. Foram aproximadamente 150 km em trechos da BR 060 entre os municípios de Paraiso das Águas passando por Chapadão do Sul, até a divisa com o estado do Goiás, e em alguns trechos da MS 306 entre os municípios de Chapadão do Sul e Cassilândia.

A destruição de plantas voluntárias é um dos mecanismos para evitar a proliferação das principais pragas e doenças do algodoeiro. A Ampasul recomenda aos produtores que destruam as plantas voluntárias nas suas lavouras de soja, milho, pátios e estradas das fazendas.

Clique aqui e veja o Informativo.

Fonte: Assessoria

Fazer download da imagem







Leia também

Dúvidas ou sugestões? Nos escreva!






contato

NOS ACOMPANHE NAS MIDIAS SOCIAIS