OAB de Costa Rica lança campanha para orientar população sobre risco da clonagem de WhatsApp

Golpe tem se tornado muito comum e feito várias vítimas no município

por: MS Todo Dia - 28/01/2022 15:30

OAB de Costa Rica lança campanha para orientar população sobre risco da clonagem de WhatsApp Advogado Rafael, presidente da OAB em Costa Rica

Golpe tem se tornado muito comum e feito várias vítimas no município

A 16ª Subseção da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul), de Costa Rica, lançou uma campanha para auxiliar na prevenção de golpes pela clonagem de WhatsApp. De acordo com o advogado Rafael Schiavinato Canova, presidente local da subseção, serão compartilhadas informações em rádios e jornais da região, bem como nas redes sociais, orientando o cidadão sobre quais ações deve adotar.

Segundo ele, a medida foi necessária após relatos de vários casos ocorridos em Costa Rica, envolvendo advogados, amigos e familiares. Tais ações criminosas causam constrangimento e prejuízos, uma vez que na maioria dos casos os autores se passam por pessoas conhecidas e pedem dinheiro aos contatos. Há também quem acredita estar falando com os conhecidos e acaba fazendo transferências financeiras.

“São golpes comuns. Há também casos em que os golpistas se passam por empresas e solicitam pagamentos ou enviam boletos”, explicou o advogado. Ele disse que, ao menor sinal de perigo, acione a polícia. No entanto, há outras medidas que podem ser adotadas para minimizar o risco, como por exemplo, ativar a verificação do número de WhatsApp em duas etapas, não enviar números de códigos de segurança a terceiros e, sempre desconfiar.

“Se alguém te pedir um pagamento, ligue para a pessoa, tente confirmar se é isso mesmo”, afirmou. Ele também informa que as vítimas devem sempre salvar registros de conversas, prints do telefone e encaminhar às autoridades competentes o quanto antes. “Quem transferiu dinheiro também pode informar o banco, solicitando o bloqueio da transferência”. Para tanto, o advogado elencou uma série de medidas que podem ser conferidas a seguir:

"GOLPES CIBERNÉTICO PELO MENSAGEIRO WHATSAPP, COMO IDENTIFICAR E PREVENIR E QUAIS MEDIDAS ADOTAR CASO SEJA VÍTIMA.

Os crimes cibernéticos estão cada vez mais comuns, dentre eles os golpes por WhatsApp se destacam em razão do grande número de usuários. Hoje em dia, quase todos possuem e utilizam o WhatsApp para se comunicar.

Dentre os golpes mais comuns, podemos citar:

- O Golpe do código de segurança.

Nesse caso a pessoa (vítima) recebe uma mensagem de uma empresa pedindo um código de verificação e dizendo que com o envio deste código conseguirá solucionar determinado problema e até mesmo a aprovação de algum serviço.

Assim que a vítima envia este código, que é o código de seis dígitos que dá acesso ao próprio WhatsApp (aquele que usamos para autorizar o aplicativo no aparelho celular), o WhatsApp é clonado, e o golpista passa a ter acesso a seus contatos, e até conversa se você realiza backup. Com essas informações passa a aplicar golpes, desde pedir dinheiro através de transferência e PIX até sequestro falso.

- O Golpe do PIX.

O PIX é uma transferência de dinheiro entre contas bancárias sem custo, e feita em qualquer horário, simples e rápida. Por tais razões é cada dia mais utilizado, e alvo dos golpistas.

Nesse caso, o golpista se passar por uma pessoa conhecida (familiar, amigo, colega de trabalho) as vezes utilizando até a foto da pessoa no perfil do WhatsApp, relata uma situação, por exemplo que realizou alguns pagamentos que excedeu seu limite, e pede par a vítima realizar um pagamento por PIX para era, fornecendo os dados para a operação. Ou diz somente que precisa do dinheiro para comprar algo, como passagem, remédio, alimento etc. Outra situação é a de criminosos que entram em contato com as pessoas se passando por funcionários de bancos.

- Golpe da empresa falsa.

Outro golpe comum e bastante utilizados pelos criminosos no WhatsApp é se passar por uma empresa conhecida oferecendo descontos, promoções e até mesmo anunciando que você tenha ganhado algum sorteio ou bônus.

A partir daí a pessoa entra em uma página da internet – muito parecida com a da empresa verdadeira – e coloca os dados que eles pedem.

Com isso, são pegas as informações e os criminosos têm livre acesso a contas bancárias, senhas, etc.

Muitas vezes o golpe é mais direto, pedindo uma transferência ou pagamento de algum boleto para pagar alguma dívida ou serviço contratado. A pessoa, na inocência, acaba pagando e perdendo o valor.

Para identificá-las e evitar a sua prática, seguem as seguintes orientações:

1) Mantenha ativa a “Confirmação em duas etapas” da sua conta do WhatsApp. Se ainda não ativou, faça. Para ativar esse recurso no WhatsApp abra: Configurações (Android) / Ajustes (iOS) > Conta > Confirmação em duas etapas > Ativar. Ao ativar esse recurso, você pode inserir o seu endereço de e-mail. Caso você esqueça o seu PIN de seis dígitos, o WhatsApp enviará um link a esse e-mail para desativar a “Confirmação em duas etapas”. Isso também ajudará você a proteger sua conta e suas informações;

2) Jamais forneça para qualquer pessoa o código verificador que você recebe via SMS em seu celular. No texto da mensagem, é informado que o código se refere ao WhatsApp e o site da OLX não exige código algum para ativar anúncios;

3) Desconfie de pessoas que peçam para você fazer pagamentos ou transferências bancárias em caráter de urgência;

4) Confirme se a pessoa com quem você está conversando e está lhe fazendo o pedido é realmente quem diz ser. Ligue e faça perguntas que somente ela saberá responder, confirme a identidade dela.

Sendo o caso de vítima primária (a pessoa/perfil que o golpista está utilizando para aplicar os golpes), adote as seguintes providências, em caso de clonagem do seu celular:

1) Divulgue em seu WhatsApp (em grupos e status) e em suas redes sociais o fato ocorrido para que todos os seus contatos fiquem cientes e atentos, evitando que caiam no golpe e de modo a identificar e ajudar aqueles que já foram vítimas;

1) Procure imediatamente a delegacia de polícia mais próxima para registrar um boletim de ocorrência;

2) Em caso de conta hackeada, envie um e-mail para support@whatsapp.com com o assunto “conta hackeada – desativação de minha conta”. Relate o fato, informe o seu número de telefone (código do país, seguido do DDD e seu número – ex.:+55 + código da cidade + número do celular) e junte o boletim de ocorrência. A partir daí, inicia-se a contagem do prazo para o WhatsApp recuperar a sua conta;

3) Habilite a senha de “Confirmação em duas etapas” em seu WhatsApp (clique em “configurações”, “conta” e “verificação em duas etapas e siga os procedimentos”);

Agora, se você for a vítima secundária (a que realizou o pagamento), adote as seguintes providências:

1) Entre em contato com o seu banco para tentar bloquear o valor enviado;

2) Tire cópia das conversas feitas com o possível criminoso, bem como do boleto pago ou dados bancários da conta para onde foi feita a transferência e do comprovante de pagamento;

3) Anote o(s) dia(s), horário(s) e a cidade(s) em que você estava durante as conversas com o suposto criminoso;

4) Dirija-se à delegacia de polícia mais próxima para registrar boletim de ocorrência, levando todos os documentos impressos.

OBS: Cabe lembrar que os golpistas não agem apenas pelo WhatsApp, mas também através dos bate papos (chats) das redes sociais como Facebook e Instagram. Um golpe que vem sendo bastante utilizado é o chamado golpe da “novinha” onde um perfil falso, com uma foto de uma pessoa nova e bonita, geralmente do sexo feminino, inicia uma conversa que flui para o envio de fotos intimas. O perfil falso envia as fotos para pessoa e depois outro perfil entre em contato se passando por pai ou mãe da menina e passa a extorquir (pedir dinheiro) para não denunciar e/ou divulgar o ocorrido.

Rafael Schiavinato Canova, Advogado, Presidente da 16ª Subseção da Ordem dos Advogados de Costa Rica – MS".




 

Fonte: Assessoria

Fazer download da imagem







Leia também

Dúvidas ou sugestões? Nos escreva!






contato

NOS ACOMPANHE NAS MIDIAS SOCIAIS