Polícia Civil cumpre mandado na casa de ex-funcionário de usina de cana em Costa Rica

Suspeito será indiciado pela prática de 246 crimes de estelionato, lavagem de dinheiro e violação de dispositivo informático

por: Gabby Gonzalez - 14/01/2022 10:07

Polícia Civil cumpre mandado na casa de ex-funcionário de usina de cana em Costa Rica

Suspeito será indiciado pela prática de 246 crimes de estelionato, lavagem de dinheiro e violação de dispositivo informático

Na manhã desta sexta-feira (14) um ex-funcionário de uma usina de cana de açúcar em Costa Rica foi alvo de cumprimento de mandado de busca e apreensão da Polícia Civil.

Por volta das 8h de hoje, o delegado Caíque Ducatti, e a equipe do SIG foram até a casa do ex-colaborador, de 35 anos, suspeito de praticar os crimes de estelionato, lavagem de dinheiro e violação de dispositivo informático.

Na ocasião, os agentes apreenderam na casa do suspeito 1 pen drive e 1 notebook. No interior de tais objetos, existem dados de 1600 colaboradores da empresa. (CPF, nome, número do cartão de alimentação).

De acordo com as investigações, o suspeito na condição de Analista de PL da empresa, mediante artifício (usando os cartões de colaboradores ativos ou inativos, sem a devida autorização), fez compras em pontos empresariais de Costa Rica, além de tornar-se empresário individual e fazer “gastos” com os cartões em sua empresa individual, para “sacar” o dinheiro existente nos cartões de alimentação dos colaboradores ativos/inativos, praticando, assim, 246 crimes de estelionato.

Ainda, sem a devida permissão, o homem invadiu dispositivo informático da usina de cana de açúcar, e obteve os dados dos colaboradores, sem autorização expressa ou tácita da empresa, usando, inclusive para obter benefício ilícito.

Há, ainda, a prática do crime de lavagem de dinheiro (autolavagem), vez que, usando a simulação absoluta - criação na aparência de uma empresa (sem atividade) para desviar a quantia dos cartões de alimentação dos colaboradores -, conseguiu e fez introduzir na cadeia econômica a quantia de aproximadamente R$ 62.000,00, e dissimulou sua origem (afirmando que a recebeu em razão da atividade exercida pela empresa que ele criou), a fim de ocultar a origem ilícita do dinheiro obtido mediante estelionato.

De acordo com o levantamento inicial feito pela empresa, o ex-colaborador desviou a quantia de, aproximadamente, R$ 62.000,00 (sessenta e dois mil reais).

O suspeito foi encaminhado à Delegacia de Polícia de Costa Rica, onde vai ser formalmente interrogado e indiciado pela prática de 246 crimes de estelionato, lavagem de dinheiro e violação de dispositivo informático.`           

Fonte: MS Todo Dia

Fazer download da imagem







Leia também

Dúvidas ou sugestões? Nos escreva!






contato

NOS ACOMPANHE NAS MIDIAS SOCIAIS